Friday, June 1, 2012

Está difícil? Faça um voto a Deus.


A paz do Senhor amados em Cristo Jesus. Hoje temos uma palavra reveladora da parte de Deus, onde falará a cada um de maneira especial, esteja atento a mensagem do Senhor para ti.
Há longos anos tenho visto, como pastor, o desenvolvimento do Evangelho, a obra de Deus tem crescido e mudado, em alguns aspectos para melhor e em outros nem tanto.
Conheço o caminho do desvio da Casa de Deus, e recomendo que todos estejam ainda mais vigilantes, pois não queiram desfrutar de pisar no mundo após servir a Deus. É uma linha muito fina entre a vida e a morte. Ao se desviar, o Espírito Santo sai do seu corpo, deixando aberto para que então Satanás entre e se aposse dele. O caminho dos que se desviam não e fácil, é um caminho amargo, tenebroso, sombrio e de muitas dificuldades.
Não brinque com Deus, não negocie a sua fé, não se deixe esfriar, não perca a presença do Espírito Santo para pagar para ver as conseqüências de seu deslise. A salvação é uma só, seu nome precisa estar no livro da vida e do cordeiro, não troque a sua salvação por nada.
A volta para os caminhos do Senhor é quase impossível, é necessário ter muita perseverança e uma grande misericórdia da parte de Deus. É muito difícil sair do buraco que você mesmo cavou. Se está difícil com Deus, imagine sem Ele. 
A mente do desviado bloquea totalmente para as coisas que são de Deus. Alerto aos irmãos, permaneçam firmes no caminho, estejam sempre vigilantes. A igreja do Senhor é santa, é separada, foi chamada para pregar o Evangelho, para dar bom testemunho, talvez o seu pastor, o irmão que está ao seu lado, não veja o seu pecado, mas Deus vê todas as coisas e um dia você vai pagar as conseqüências, não brinque com Deus.
São as pequenas coisas que afastam o homem de Deus, ninguém se desvia de um dia para o outro, existe um processo e as pessoas começam a se desviar pelas reclamações, comecam a ver defeito onde não existe e pronto a porta para o desviar do caminho do Senhor esta aberta.
Adultério, lascívia, fornicação, murmuração, mentira e alguns outros pecados deixaram o homem de fora da salvação. Se você caiu, é tempo de se arrepender, pedir a misericórdia de Deus e voltar ao primeiro amor.
Nosso texto se baseia em Gênesis 28: 20-22, onde nos diz: " E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer e vestes para vestir, e eu em paz tornar à casa de meu pai, o Senhor será o meu Deus; e está pedra, que tenho posto por coluna, será a Casa de Deus; e de tudo quanto me deres certamente te darei o dízimo."
Aqui vemos Jacó fazendo um voto com Deus, o qual deixa claro que mesmo ele sendo neto de Abraão, o pai da fé, e filho de Isaac,  ainda sim ainda não tinha Deus como seu Senhor. Creio que falar de Jacó tem um peso pela sua genealogia, a palavra de Jacó por certo, também deve ter algum valor.
Jacó colocou em sua citação do voto com Deus a preposição "se" que na gramática, nos indica um termo condicional, ou seja, ele coloca uma condição para Deus, se Deus o abençoasse, o guardasse e prosperasse o seu caminho, dai sim ele teria a Deus como Senhor, mas devia se cumprir primeiro tudo da parte de Deus, para ele entender que Deus existia na vida dele e assim ser o seu Senhor. Dando o dízimo de tudo que ele tinha. Jacó duvidou de Deus, de sua existência e poder, mesmo sendo da genealogia de Abraão, conhecedor do Deus vivo.
Deus não possui netos, somente filhos, independente da pessoa ser filho do pastor, do dirigente da igreja, no líder de louvor, ou de quem quer que seja, a salvação é individual, é preciso passar pelo mesmo caminho, crer, aceitar a Jesus como salvador, se batizar nas águas, ter mudança de vida, manter boa conduta e ser fiel em tudo a Deus.
Jacó fez muitos votos a Deus, mas não cumpriu todos eles, podemos acompanhar isso na leitura da Bíblia sobre Jacó. 
A questão do voto para Deus é algo muito sério, Deus não nos obriga a fazer nenhum voto a Ele, mas a partir do momento que fazemos esse compromisso com Ele, devemos ir até o fim, cumprir e ser fiel aquilo que estabelecemos com Deus, como nos diz em Eclesiastes 5:04 " Quando fizerem algum voto, não tarde em cumpri-lo, porque não se agrada de tolos, o que votares, paga-o. " 
Percebemos aqui, a seriedade do que é fazer um voto a Deus. Hoje, não vemos muitos crentes fazendo votos, muitos não devem nem mesmo saber o que é fazer um voto a Deus. Voto é um compromisso diante de Deus, sendo algo involuntário, que não deve depender de coisa alguma se não de você mesmo. É um pacto entre você e Deus, existem momentos que você precisa receber uma resposta de Deus, ouvir a sua voz em particular, precisa receber uma grande benção, algo talvez impossível, então, você faz esse compromisso com Deus, o prometendo alguma coisa assim que receber o que tem pedido a Ele. 
Um exemplo de voto é aquele que está desempregado, totalmente necessitado, e pede ao Senhor a abertura da porta de trabalho, dai promete a Deus dar todo o salário como forma de oferta, tirando apenas o dízimo. Deus opera o milagre, dá o emprego esperado, e a sua parte é dar o que prometeu a Deus, mas caso não o faça, Deus cobrará dele aquele voto não cumprido.
Deus honra os que são fieis, aqueles que confiam no Senhor, que fazem votos com seriedade e cumprem.
Devemos fazer votos com desafios lógicos, coisas que você possa cumprir, que não dependa de ninguém, somente você e Deus. Como por exemplo: Você promete a Deus caso recebesse a benção faria um culto em sua casa, irmão, esse não é um voto lógico, porque casos as pessoas não compareçam no culto, você deixará de cumprir a sua parte no voto. Ou seja, apenas faça votos, que o desafio dependa exclusivamente de você, sendo o seu sacrifício sincero a Deus.
Deus não é homem para mentir, Ele cumpre com sua palavra, se a sua situação hoje está muito difícil, faça um voto com Deus, o poder pertence a Ele, o qual pode realizar o milagre que você pedir.
Nós já fizemos um voto eterno com o Senhor, o qual na verdade nem nos damos conta em alguns casos, no momento que estamos nos batizando nas águas, prometemos diante do homem e dos Céus, que seremos fieis a Deus durante toda a nossa vida. Esse é um compromisso eterno com Deus.
Saiba que seu pacto é com Deus, não é com aquele fala mal da sua vida, que te persegue, que conta mentira a seu respeito, que tenta tirar a sua paz, Deus é contigo e você deve prestar conta de sua vida diretamente a Ele.
Irmãos, não quebrem seus pactos com Deus, mesmo muitas das vezes o caminho estando difícil, devemos nos manter firmes, sendo fieis a Deus até o fim, cumprindo a nossa parte no pacto, não deixe a murmuração fazer parte da sua vida, não abra a porta para que venha a se desviar, se afaste do mal e daqueles que podem contaminar a sua fé. Jesus está voltando, é tempo da igreja marchar com mais firmeza e união rumo aos Céus.
Que Deus te abençoe e te guarde, fique firme com Jesus, a sua volta não demora. Mensagem pregada pelo nosso Pastor Luiz Henrique de Oliveira Senior pastor da Piebhawaii no dia 30 de Maio  de 2012, culto noturno.

4 comments:

Vivi Rodrigues said...

A Deus seja dada toda honra e toda a glória!!! Mais uma mensagem edificante, ontem estava orando ao Senhor e a palavra "voto" surgiu, hoje leio esse post e percebo Deus falando comigo mais uma vez.
Que esse blog continue sendo um canal de bençãos do Senhor :)
A paz,

Vívian Rodrigues

Roberto Luiz Rodrigues said...

Já votei várias vezes e nao cumpri. Quero fazer outro voto à Deus mas não sei o que votar. Algum pastor me dê um exemplo. Pois estou com problema no cadamento

Lurdes melo lurdinha said...

Fizona muito voto a Deus e não cumpri
Será que Deus está distante de mim

Marquinho Silva said...

Há cerca de 30 referências bíblicas a votos, a maioria delas são do Antigo Testamento. Os livros de Levítico e Números têm várias referências a votos em relação a oferendas e sacrifícios. Houve consequências desastrosas para os israelitas que fizeram e quebraram votos, especialmente quando feitos a Deus.

A história de Jefté ilustra a tolice de fazer votos sem compreender as consequências. Antes de liderar os israelitas na batalha contra os amonitas, Jefté - descrito como um poderoso homem de valor - fez um voto precipitado de que daria ao Senhor quem primeiro passasse pela porta para encontrá-lo, se voltasse para casa como o vencedor. Quando o Senhor concedeu-lhe a vitória, a sua filha foi a primeira a sair para encontrá-lo. Jefté lembrou-se da sua promessa e ofereceu-a ao Senhor (Juízes 11:29-40). Se Jefté deveria ou não ter mantido este voto é tratado em outro artigo, mas o que essa narrativa certamente nos mostra é a tolice dos votos precipitados.

Talvez seja por isso que Jesus deu um novo mandamento sobre votos. "Também ouvistes que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás rigorosamente para com o Senhor os teus juramentos. Eu, porém, vos digo: de modo algum jureis; nem pelo céu, por ser o trono de Deus; nem pela terra, por ser estrado de seus pés; nem por Jerusalém, por ser cidade do grande Rei; nem jures pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto. Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno" (Mateus 5:33-37).

O princípio aqui é claro para os cristãos: não faça promessas, seja para o Senhor ou outra pessoa. Em primeiro lugar, somos incapazes de saber com certeza se seremos capazes de mantê-las. O fato de que somos propensos a erros de julgamento, o que faz parte da nossa natureza decaída, significa que podemos fazer votos tolamente ou por imaturidade. Além disso, não sabemos o que o futuro trará - somente Deus sabe. Não sabemos o que vai acontecer amanhã (Tiago 4:14), então prometer que vamos fazer ou não fazer alguma coisa é tolice. Deus está no controle, e não nós, mas "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Romanos 8:28). Sabendo disso, podemos ver que não é necessário fazer votos e que fazê-los indica uma falta de confiança nEle. Finalmente, Jesus ordena que a nossa palavra seja suficiente sem fazer votos. Quando dizemos "sim" ou "não", isso deve ser a verdade. Adicionar votos ou juramentos ao nosso falar nos abre à influência de Satanás, cujo desejo é prender-nos e comprometer o nosso testemunho cristão.

Se fizemos uma promessa tola e percebemos que não podemos ou devemos mantê-la, devemos confessá-la a Deus, sabendo que Ele é "fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça." Um voto quebrado, enquanto sério, não é uma questão imperdoável se levado ao Senhor em verdadeira confissão. Deus não vai nos prender a promessas feitas imprudentemente, mas Ele espera que obedeçamos a Jesus e nos abstenhamos de fazer votos no futuro.